Não deixe as distrações tecnológicas atrapalharem a ligação entre você e seus filhos.

 

Hoje vivemos conectados a tudo e a todos. Entramos na conta corrente pelo celular, falamos com parente do outro lado do mundo pelo notebook, compartilhamos fotos na hora em que elas são clicadas… Mas como anda a conexão com nossos filhos? Aquela de verdade, do cafuné no colo?

Fortalecer o vínculo com a prole é importantíssimo desde os primeiros dias de vida. Bebês que recebem pouco contato físico não desenvolve bem os neurônios, por exemplo. “As mídias eletrônicas tê, sim, atrapalhado o vínculo entre pais e filhos. São uma distração a mais em nossa vida. Muita gente entrega o celular com um vídeo da Peppa, por exemplo, para acalmar a criança que chora, mas o que ela quer é só atenção”, exemplifica Lais Fontenelle, psicóloga e consultora do Insituto Alana. Veja, ao lado, o que podemos fazer (além de deixar as tecnologias um pouco de lado) para fortalecer a ligação com os filhos.

 

NA PRIMEIRA INFÂNCIA

(0 a 5 anos)

 Quando estiver em contato com o pequeno, esteja por inteiro. Se vai amamentar, deixe o celular longe e conecte-se àquele momento. Brincadeiras simples, como sentar com o bebê no chão para empilhar bloquinhos, são muito ricas e prazerosas.

NA IDADE ESCOLAR

(6 a 12 anos)

 Passeios são bons para estreitar laços, mas nem tanto se o único programa da família for o shopping. “Locais voltados ao consumo desviam a atenção para outras coisas. Passeios ligados à natureza promovem mais interação com as crianças”, ressalta Lais.

NA ADOLESCÊNCIA

(13 a 18 anos)

 Jovens às vezes fogem de beijos e abraços, mas conexão acontece de muitas formas, não apenas pelo toque. Estar disposta a ouvir também diz muito, assim como pequenos gestos do dia a dia. Que tal levar uma fatia de bolo para seu filho quando ele estiver no quarto estudando?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.